menu Páginas
TwitterFacebook
Categorias de Menu

Nossa História

A História da Igreja de Cristo

A Igreja de Cristo surgiu para dar sua parcela de contribuição na restauração da Igreja do Novo Testamento. Faltava ainda uma ênfase maior no Batismo, na Santa Ceia do Senhor, e no governo local de cada igreja. Esta é a missão da Igreja de Cristo dentro do movimento de restauração.

AS ORDENANÇAS (SACRAMENTOS) DA IGREJA

Mesmo hoje, a duas ordenanças (sacramentos) do Novo Testamento, o Batismo e a Ceia do Senhor, ficam marginalizados em todo o mundo: por muitos evangélicos.

A doutrina e prática das ordenanças (sacramentos) das Igrejas de Cristo é o seguinte em todo mundo:

  • Batismo
    1. A forma do batismo é exclusivamente por imersão (Rm.6:4),
    2. O batismo é realizado pela autoridade do Pai e do Filho e do Espírito Santo (Mt.28:19; At. 19:5),
    3. Batiza-se exclusivamente crentes arrependidos (At. 2:38),
    4. Não há qualquer outra exigência, a não ser a de uma profissão pública de fé no Senhor Jesus, o Filho de Deus, e o Salvador (At.8:36-37)
  • Ceia do Senhor
    1. Participar da Ceia do Senhor é permitido a todo cristão batizado, a convite do Senhor, e cada participante Examina a sua própria consciência (I Co. 11:28)
    2. Observa-se a Ceia do Senhor semanalmente (At. 20:7).
    3. Na administração das ordenanças (sacramentos) pratica-se o sacerdócio real de todos os cristãos (I Pd.2:9).

GOVERNOS E LIDERES DA IGREJA LOCAL

Outra coisa que as Igrejas de Cristo procuraram restaurar é o governo e a liderança da igreja local. A Igreja que Jesus estabeleceu através dos apóstolos era simples em organização e eficaz em operação. Uma pluralidade de presbíteros servia em cada congregação local. Um presbítero não era elevado acima dos outros, e nem tinha títulos especiais embora os dons de Deus os capacitassem a servir em funções diferentes.

FUNDADORES DA IGREJA DE CRISTO

Thomas Campbell (1763-1854)

Se o movimento tem um “Santo Patrono”, este seria o pai de Alexandre Campbell, que conferiu ao movimento a mais famosa frase “A Igreja de Cristo na terra é essencialmente, intencionalmente, e constitucionalmente uma”. Sua “Declaração e Discurso”, a carta magna da liberdade cristão, é o documento mais famoso. Ele excelentemente combinou as virtudes que João Wesley disse serem raramente encontradas juntas: piedade e conhecimento. O amor de Deus era seu tema constante.

Thomas Campbell nasceu na Irlanda do Norte em 1763. Seu pai foi Archibald Campbell, escocês, oficial do exercito britânico, nascido católico, mas que tinha passado pela Igreja Anglicana. Quando jovem, Thomas teve uma experiência de conversão e membrou-se à Igreja Presbiteriana Separatista Anti-Burguesa. Estudou na Escócia e casou-se com a filha de um casal de Huguenotes (presbiterianos franceses) refugiados na Irlanda.

Como pastor, Thomas Campbell ficou horrorizado com as divisões existentes na Igreja Presbiteriana na Irlanda.

Ele procurou uma aproximação entre as facções Burguesa e Anti-Burguesa (já que não existia o juramento de burgueses na Irlanda), porém, seus esforços foram rejeitados. Por motivo de saúde, Tomás emigrou à América em 1807.

Na Pensilvânia, o Sínodo Presbiteriano Separatista Anti- Burguês lhe deu um cargo no Oeste do Estado. Lá os cristãos eram poucos e espalhados. Com seu espírito pacificador, Thomas Campbell sentiu pena dos presbiterianos de outras facções, espalhadas como ovelhas sem pastor. Então, ele permitiu que outros presbiterianos (nem cogitava metodistas ou batistas) participassem da Ceia do Senhor. O resultado dessa liberalidade foi que Thomas Campbell foi expulso de sua denominação no ano 1809.

Alexandre Campbell (1788-1866)

O fato dele permanecer a figura dominante no movimento após aproximadamente a 2 séculos de história expressa a qualidade de sua liderança. O Movimento evitou qualquer divisão aberta enquanto ele viveu. Foi predito que o movimento se quebraria quando ele morresse, mas as décadas que seguiram provaram ser o período de maior crescimento, apesar de também o mais controverso. Seu biografo, Dr. Richardson, diz que ele botou o progresso de sua reforma antes de sua tudo, inclusive de sua família. No dia 19 de Outubro de 1809, a esposa de Thomas Campbell e seus filhos chegaram à América. Alexandre, o primeiro filho do casal, nasceu em 1788. Como o pai, ele completou o curso superior na Escócia. Lá foi influenciado por mestres com os mesmos ideais de Thomas Campbell.(O movimento para restauração da Igreja do Novo Testamento é tão antigo na Grã-Bretanha quanto nos Estados Unidos).

Quando se encontraram depois de alguns anos, Thomas e Alexandre ficaram alegremente surpreendidos em descobrir que, independentemente, os dois tinham chegado às mesmas conclusões teológicas. Logo Alexandre, mas brilhante que o pai, tomou a liderança do movimento.

Barton W. Stone (1772-1844)

Apesar de seu movimento ter iniciado primeiro (1801) e ele ser 15 anos mais velho, alegremente cedeu a liderança do Movimento a Alexandre Campbell, seu arquiteto por direito. Um unionista de primeira ordem, que clamava por unidade de fogo “(uma aliança verdadeiramente ativa), que era uma unidade criada pelo Espírito Santo. Em vez de um livro de “unidade de água” (uma aliança passageira). Ele considerava seu papel na união de Stone-Campbell (Lexington, 1832)” o ato mais nobre de minha vida”. Sua frase “Que a unidade cristã seja nossa estrela polar” permanece um desafio para o Movimento.

Barton Stone foi o único dos “quatro grandes”, fundadores das Igrejas de Cristo, que nasceu na América. Stone nasceu no sul do Estado de Maryland em 1772 de uma família fiel à Igreja da Inglaterra (Anglicana). Completou o segundo grau na Carolina do Norte e teve uma experiência de conversão através da pregação de evangelistas presbiterianos. Stone seguiu o desenvolvimento da fronteira ao novo Estado de Kentucky e lá pediu ordenação em 1788.

No ano 1800. No agosto calorento de 18001 houve um estrondo movimento justamente em Cane Ridge, onde Stone estava pastoreando a Igreja Presbiteriana.

Um dos resultados deste avivamento foi que Stone e seus companheiros foram expulsos da Igreja Presbiteriana. Formaram o presbitério independente de Springfield (hoje um bairro da cidade de Cincinnati, Ohio). Depois de um ano de existência, esta organização extracongregacional resolveu dissolver-se e “desaparecer integrando-se ao Corpo de Cristo como um todo”. Justificou-se esta decisão através de um documento histórico de grande interesse intitulado A Ultima Vontade do Presbitério de Springfield, lavrado e assinado por Stone e outros em Cane Ridge, 28 de junho de 1804. Alguns preferem esta data para o inicio das Igrejas de Cristo.

Walter Scott (1796 – 1861)

“A Voz do Oráculo de Ouro” glorificou a Cristo de forma tão magnífica em sua oratória que certa vez fez Alexandre Campbell se levantar de seu assento louvando a Deus. Seu “novo evangelismo”, popularizado pelo exercício de fé dos cinco dedos: fé, arrependimento, batismo, remissão dos pecados e Espírito Santo levou milhares a se batizarem. Ele faleceu na explosão da guerra civil. ( )s dois eventos muito entristeceu Campbell, que escreveu a respeito de Scott: ” Depois de meu pai, meu mais cordial e incansável colega de trabalho no inicio e progresso da presente Reforma”.

Water Scott, nasceu na Escócia em 1796. Emigrou para América em 1818 e fixou sua residência na cidade de Pittsburg, listado da Pensilvânia, no ano seguinte Scott logo abandonou a Igreja Presbiteriana e foi batizado por imersão na Igreja Batista. Notemos que todos os quatro grandes fundadores das Igrejas de Cristo tinham antecedentes presbiterianos. Em 1822, Scott tornou-se amigo pessoal de Alexandre Campbell. O papel de Walter Scott foi o de popularizar o movimento dos Campbell, como evangelista.

A DECLARAÇÃO

A Igreja de Cristo é essencialmente, intencional e constitucionalmente uma só, consistindo de todos em todos os lugares, que professam sua fé em Cristo e demonstram completa disposição de obedece-lo em todas as coisas de acordo com as Escrituras.

Embora esta unidade pressuponha e permita a existência de congregações autônomas, deverá haver harmonia perfeita e unidade de espirito entre todas. Somos uma parte distinta da família de Deus chamada Igreja de Cristo e reconhecemos ser nossos irmãos todos os cristãos, mesmo que não façam parte deste movimento de restauração da Igreja, e queremos manter com eles comunhão desde que esta comunhão não nos imponha retrocesso no processo de restauração.

A Bíblia é a única regra de fé e prática para os cristãos, que não se obrigue nada que não seja expressamente ordenado à igreja do novo testamento, pela autoridade do Senhor Jesus Cristo e de seus apóstolos.

As Escrituras do Velho e Novo Testamento são inseparavelmente ligadas, formando uma revelação perfeita e completa da vontade divina para a edificação da igreja; portanto, neste particular, não poderão ser separados. Por outro lado, no que se refere direta e indiretamente ao seu propósito, o Novo Testamento é constituição tão perfeita para o culto a disciplina e o governo da igreja, como foi o Velho testamento para o culto, disciplina e o governo do povo de Israel.

Nenhuma autoridade humana detém o poder de emendar ou modificar a constituição original da Igreja. Onde a Bíblia fala nós falamos, onde a Bíblia não fala, ninguém tem o direito de impor suas opiniões. Nada deverá ser recebido como artigo de fé e adoração da igreja, nem exigido para comungar os membros que não seja explicitamente ensinado no Novo Testamento. Porém, reconhecemos que cada cristão e/ou congregação tem liberdade na adoração, louvor e vida cristã, dentro de sua própria cultura.

Interpretação e deduções das Escrituras, embora podendo ser verdadeiras, não se podem transformar em mandamentos e ordenanças da Igreja.

Opiniões divergentes quanto a tais interpretações não se deverão transformar em empecilhos para comungar na igreja.

A confissão de fé em Cristo Jesus, o Filho de Deus, como único Senhor e Salvador e a conversão mediante o arrependimento são suficientes para ser batizado e se tornar membro do corpo de Cristo, restabelecendo assim, a sua comunhão com Deus.

As ordenanças observadas pela igreja do Novo Testamento são o batismo e a ceia do Senhor. A única forma de batismo que demonstra biblicamente o sepultamento, a ressurreição de Cristo e o Novo nascimento é através da imersão nas águas.

Todos que têm feito sua confissão em Cristo deverão demonstrar a sinceridade na mesma em sua conduta, amando e vivendo fraternalmente como membros do mesmo corpo e co-herdeiros da mesma herança.

A divisão entre cristãos é anti-cristã, anti-bíblica e anormal. E uma violação direta ao mandamento do Senhor (Jo. 17:20-23; Ef. 4:1-6).

A negligencia à vontade de Deus revelada na Bíblia e a introdução de inovações humanas são e têm sido as causas de corrupções e divisões na igreja.

Os métodos e meios adotados por uma igreja local, a fim de obedecer os mandamentos divinos que não sejam mencionados expressamente nas Escrituras, devem ser vistos como recursos humanos e não como leis, para que não sejam motivos de contendas ou divisões no corpo de Cristo.

A IGREJA DE CRISTO NO BRASIL

Março de 1948 marcou a entrada dos Sanders no Brasil. Março de 1949 marcou o primeiro aniversário com seis batizados, assim iniciando a primeira igreja (Vila Nova – Goiânia-Go).

A Igreja de Cristo em Vila Nova, Goiânia=Goiás, teve seu início quando L. David Sanders ouviu a chamada de Cristo logo após o seu batismo, aos 12 anos de idade. Ele consagrou sua vida a Cristo com a visão de ser um servo de Cristo além-mar.

A sua chamada se concentrou no interior do Brasil, especificamente na “futura capital federal”, agora Brasília. (Quando estava orando sentiu a chamada a este Distrito).

Como “Brasília” ainda não existia, a viagem experimental foi por trem até Anápolis-Goiás, depois de carro até Goiânia, onde encontrou uma casa nos fundos, na Rua 21, frente ao “Liceu”.

 

Em poucos dias, algumas crianças visitaram “os estrangeiros” (Ruth e David Sanders) procurando ajuda. Foi combinado com duas moças para virem ajudar nos trabalhos da casa.

Por meio dessas crianças, iniciou-se uma escola de leitura e estudo bíblicos à tarde. Mas “Sanders” não conheciam à língua portuguesa muito bem, assim os estudos eram tanto limitado. As crianças não sabiam ler, então, convidaram-nas para reunirem no Domingo à tarde para cantar corinhos e fazer estudos simples. No dia 19 de Setembro de 1948 iniciaram-se classes Bíblicas regulares com duas pessoas. Em Janeiro de 1949, havia 60 alunos matriculados para seis semanas de Estudos Bíblicos diários. Em Fevereiro de 1949, foram mimiografados lições para a escola e um hinário de 30 hinos e corinhos. Em Dezembro de 1949, 55 pessoas tinham sido batizadas e participavam de Mesa do Senhor semanalmente. Em Janeiro de 1950,150 alunos foram matriculados em Vila Nova e Botafogo. Até 1951, foram batizadas 80 pessoas. No dia 22 de Março de 1953, foi inaugurada formalmente o primeiro prédio para o templo da Igreja de Cristo no Brasil.

Hoje as Igrejas de Cristo já contam com milhares de membros espalhados no mundo, centenas de Pastores, Evangelistas, Doutores, Mestres, etc., centenas de Igrejas no mundo e no Brasil.

Obs.: Este foi um resumo do início da Igreja de Cristo no Brasil.

A PRIMEIRA IGREJA DE CRISTO NO BRASIL

 A PRIMEIRA IGREJA DE CRISTO NO BRASIL

Vila Nova – Goiânia / março de 1948

 

 Ruth Edna Sanders (D. Ruth) e Lloyd David Sanders (Pr. David)

 

Ruth Edna Sanders (D. Ruth) e Lloyd David Sanders (Pr. David)

Nome dos Missionários – Época no Brasil

  1. David & Ruth Sanders – de 1948 até hoje
  2. Richard & Cary Ewing – de 1950 a 1963
  3. William & Virginia Loft – de 1952 a 1968
  4. Richard & Sarah Robison – de 1954 a 1969
  5. Clint & Phyllis Thomas – de 1955 aos 90 anos
  6. Robert & Fern Smith – dos anos 50 aos 60
  7. Jim & Mary/Maria Felix Moreland – dos anos 50 até hoje
  8. Gerald & Mary Holmquist – dos anos 50 aos 90
  9. David & (Beverty) Carol Bayless – de 1958 até hoje
  10. Merlin & Gertrude Shields – de 1958 aos anos 90
  11. Paul & Shirley Lanham – de 1959 aos anos 2000
  12. Ruth Spurgeon – na décade de 50
  13. Ellen Case – na década de 50
  14. Eugne & Pat Smith – dos anos 50 aos 60
  15. Dale & Carol Mcafee – de 1961 aos anos 80
  16. Audrey Dodson – na década de 60
  17. Ken & ( esposa) Mathes – na década de 60
  18. Charles & Ana Kent – na década de 60
  19. Lew & Vida Cass – na década de 60
  20. Bill & Lora Metz – dos anos 60 aos 70
  21. Harry & Elaine Scates – de 1963 até hoje (não está mais nas Igrejas de Cristo)
  22. Lee & Nicole Donnell – de 1964 a 1968
  23. Thomas & Elizabeth Fife – de 1965 a 1991
  24. Carol Louis & Bárbara Lowe – de 1967 a 1976
  25. John Lynn & Julie Cleaveland – de 1976 aos anos 70
  26. Jerry & (esposa) Hall – dos anos 60 aos 70
  27. Earl & Ruth Anne Haubner – de 1968 até hoje
  28. Wade & (esposa) Pope – aos anos 60 aos 70

 

  1. Norman & Patty Maddux – dos anos 60 aos 90
  2. Dale& Huey Mason – dos anos 60 aos 70
  3. Gary &PamBurrell – dos anos 60 aos 90
  4. Bruce & (June) Neide Colson – de 1969 aos anos 90
  5. Ron & Jean Reiss – na década de 70
  6. Alan &DerendaKisner – dos anos 70 aos 2000
  7. Bill & Janet Moreland – dos anos 70 aos 1980
  8. Jim & Sandra Bunch – na década de 70
  9. John & Norma Rogers – na década de 70
  10. Lanny& Pat Maddux – na década de 70
  11. John &( esposa) Bush – na década de 70
  12. Harry & Margaret Baird – na década de 70
  13. Richard & Lynn Hicks – na década de 70
  14. Wayne &GailLong – na década de 70
  15. Jim &Vanita Davis – na década de 80
  16. Jerry & Aleta Kennedy – de 1980 aos anos 90
  17. Jacob &Nila Michael – em 1980
  18. Bob &Doris Myers – na década de 80
  19. Philep&TabitaMcafee – dos anos 80 até hoje
  20. Jim & Holly Gullett – na década de 90
  21. Lowell &BlancheHunefield – na década de 90
  22. Tom & Amy Moen – de 1995 a 2006
  23. Jeff & Mônica Fife – de 2001 até hoje

Vemos que a Igreja de Cristo/ Cristã é uma igreja histórica fundamentada somente nas Escrituras, sendo uma igreja do Novo Testamento, com ensinamentos específicos a serem cumpridos por aqueles que querem de coração cumprir com os mandamentos do próprio Cristo. Através desde dois séculos do Movimento da Restauração, crendo que na verdade a Igreja de Cristo teve seu inicio no dia de Pentecostes, as Igrejas de Cristo/ Cristã têm zelado e lutado para cumprir o desejo de Cristo Jesus expresso em João 17 mantendo assim a unidade.

Mesmo com os nossos defeitos, hoje o Movimento da Restauração está presente com missões em 177 países do mundo, e conta com cerca de 15 milhões de membros sendo aproximadamente 7 milhões nos EUA. Sendo o grupo evangélico que mais cresce no mundo, tendo a maior igreja evangélica do EUA em Louisville, Kentucky, que tem aproximadamente 24.000 membros.

Que Deus nos abençoe e nos capacite a cada dia para fazer a Sua obra!!

 

 

EM QUE CREMOS

Cremos na Doutrina da Trindade

Cremos que há um só Deus na sua essência, mas que subsiste em três pessoas distintas, co-iguais em poder e em glória e co-eternas.

Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, tendo os mesmos atributos e perdições. Mt. 3:16,17;28:18,19: Jo. 14:16,17; 16:12-15: 2 Co. 13:13; Gl. 4:6,7; Hb. 9:14; Jo. 2:22,23; 5:6-12.

Cremos na Doutrina de Deus Pai

Cremos em Deus Pai, pessoal, Espírito eterno, infinito, imutável e insondável em seu Ser; criador, preservador e consumador de todas as coisas; o qual se revelou ao mundo pelo Filho e pelas suas obras, dando-nos a conhecer a Si mesmo e tudo quanto requer para nossa conduta e procedimento aqui no mundo. Dt. 33:24; SI. 139:7; Is40:28; Jr. 10:10; 23;24; Mt. 5:45-48; Mc. 12:19-30; Lc. 12:32; 24:39; Jo. 1:18; 4:24; 5:37-39; 14:28; At. 17:24-29; Rm. 1:20; I Co. 8:4-6; I Tm. 1:17; Hb. 1:1-4; 7:3; Tg. 1:1-18.

Cremos na Doutrina do Filho, Jesus Cristo

Cremos em Deus Filho, Jesus Cristo, o unigênito do Pai; concebido da Virgem Maria por obra e graça do Espírito Santo, que viveu sem pecado, morreu para expiação de nossas culpas, ressuscitou para nossa justificação, ascendeu à destra do Pai para nossa mediação, de onde voltará para julgar os vivos e os mortos. SI. 2:1-8; Is. 7:14; Mt. 1:18-21; Jo. 1:1-3; 8:56-58; 10:30, Rm. 4:24,25;II Ts. 2:5,6; Hb. 4:14-16; I Pd 4:5; I Jo. 4:8,9.

 

 

Cremos na Doutrina do Espirito Santo

Cremos em Deus Espírito Santo, da mesma essência do Pai e do Filho, regenerador, santificador, consolador das nossas vidas, o qual habita no crente desde o momento da sua conversão a Jesus Cristo. SI. 4:6; Jo. 14:16,17; 16:7-14; Co. 3:16-18; Ef. 2:17,18; II Tes. 2:13;Tt.3:4;5: I. Pol. 1:3-12.

Cremos no batismo com o Espírito Santo efetuado no momento da conversão a Jesus Cristo, pelo qual o crente é introduzido no Corpo de Cristo, a Igreja. Jo. 1:33,34; 14:16,17; I Co.12:12,13; Gl. 3:27; Ef. 1:13.

Cremos nos dons espirituais concedidos por Cristo, por intermédio do Espírito Santo, a todo crente, para edificação, aperfeiçoamento e unidade do Corpo de Cristo. Rm. 12:6-8; I Co. 12:4-11; Ef. 4:7-12; I Pol. 4:10,11.

Cremos na Doutrina das Escrituras Sagradas

Cremos na plena inspiração divina e na inerrância dos manuscritos originais das Escrituras Sagradas – Antigo e Novo Testamentos, formados por sessenta e seis livros que foram escritos por homens santos da parte de Deus. Aceitamo-las como única regra de fé suficiente e infalível da revelação de Deus em seu propósito redentor e como norma para a nossa conduta aqui no mundo. A regra infalível de interpretação das Escrituras é a própria Escritura. Dt. 4:2. Sl. 119:112; Is. 8:19,20; Dn. 9:2; At. 7:38; II Tm. 3:16; Hb. 1:1; II Pol. 1:19-21; Ap. 22:18,19.

Cremos na Doutrina do Pecado

Cremos que houve rebelião no céu, chefiada por Lúcifer e seguida por seus anjos, cujo alvo, desde então, é destruir as obras de Deus, tornando-se, assim, o agente pessoal da

 

 

maldade com hostes demoníacas e o principal responsável pela entrada do pecado no mundo e a infelicidade humana.

Gn. 3:1-7; Is. 14:12-15; Ez. 28:13-17; Mt. 4:8,9; 12:31; Ef. 5:12; IJo. 5:19.

Reconhecemos que Lúcifer, também conhecido por Satanás ou diabo, é uma pessoa, autor do pecado e causador da queda do homem. Mt. 4:2-11, 15-41; I Ped 5:8, Ap. 20:10.

Reconhecemos a operação demoníaca de Satanás e seus anjos (demônios) ou espíritos maus, no sentido de impedir a conversão dos homens a Jesus Cristo e oprimir os crentes. Jo. 1:1-12; Mc. 9:37-43; Ef. 6:11,12; I Pd. 5:8,9.

Cremos na Doutrina do Homem

Cremos que o homem foi criado por Deus, exatamente conforme a descrição de Gênesis, livre e responsável, com santidade positiva em estado ideal de perfeição, porém, não guardou o seu estado original, sendo tentado por Satanás, não resistiu, caiu em pecado e foi expulso da presença de Deus, passando a viver em miséria moral e espiritual, comprometendo todo o gênero humano. Gn. 2:7-17; 9:24; Sl. 51:5; Rm. 3:24; 5:12-21.

Cremos na Doutrina da Alma

Cremos na imortalidade da alma, em sua existência perpétua e consciente, em estado de salvação e gozo no céu ou em estado de perdição e miséria no inferno. Gn. 2:7, Ec.3:ll; 12:7; Dn. 12:2; Mt. 25:31-46; Lc. 16:22- 31; 19:21; Ap. 20:10-14; 21:7,8.

 

 

Cremos na Doutrina das Penas Eternas

Cremos na existência do inferno, lugar que Deus preparou para o diabo e seus anjos (demônios), mas que será, também, o destino eterno das almasque recusam a Jesus como Salvador e Senhor.Mt. 25:41-46; Mc. 9:43-48; Lc. 16:22,23; Ap. 20:10-14; 21:8.

Cremos na Doutrina da Salvação

Cremos na salvação eterna somente pela graça de Deus mediante a fé no sacrifício expiatório de nosso Senhor Jesus Cristo, consumado na cruz, operada pela persuasão regeneradora do Espírito Santo, através do novo nascimento, selando-nos para o dia da redenção. Lc. 19:10; Jo. 16:7-11; At. 4:12; Rm. 4:24,25;6:23; II Co. 5:17; IITim. 2:19.

Cremos na Doutrina da Igreja

Cremos na Igreja como universal assembleia dos santos, existindo em todas as partes da terra em congregações locais, como unidade do povo de Deus, eleita e separada do mundo, instituída por Nosso Senhor Jesus Cristo, para o aperfeiçoamento e serviço dos santos. Mt. 16:16-19; Jo. 17:22-26; II Co. 11:2; Ef. 4:10-16; 5:22- 27; II Tm.3:15, Hb. 12:22-24; I Pd. 2:9,10.

Cremos na Doutrina do Batismo

Cremos no batismo nas águas, após a profissão de fé, realizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, em testemunho público de fé e como símbolo externo da obra regeneradora operada interiormente pelo batismo do Espírito Santo, para união ao Corpo de Cristo. Mt. 28:18-20; At. 10:44-48; Rm. 6:1-14; 8:12-17; I Co. 12:12-14.

Cremos na Doutrina da Santa Ceia

Cremos que o Senhor Jesus Cristo instituiu a Santa-Ceia, com os elementos pão e vinho, representantes de seu corpo e sangue, para manter a comunhão dos santos e anunciar a morte, ressurreição e a Segunda vinda de Cristo. Mt. 26:26-31; Mc. 14:22-26; Jo. 6:42- 59; I Co. 11:23-29. Participamos da Ceia semanalmente como faziam os irmãos da Igreja Primitiva (At 20:7).

Cremos na Doutrina da Segunda Vinda de Cristo

Cremos na Segunda vinda de Cristo pessoal, física e visível, para ressurreição dos mortos, arrebatamento da Igreja, julgamento das nações, estabelecimento do seu Reino e consumação de todas as coisas. Dn. 12:2; Mt. 24:29-31; 25:31,32; 26:63-64; Mc. 13:3-37; Lc. 21:25-28; Jo. 14:1-3; At. 1:9-11; I Ts. 4:13-18; II Ts. 2:7-8; Ap. 3:11; 20:1-13.

Cremos na Doutrina da Consumação

Cremos no Juízo Final de Deus, no estabelecimento de um novo céu e uma nova terra para habitação eterna dos salvos e na implantação do governo universal de Deus. Is. 65:17-25; I Co. 15:24- 28; Ap. 20; 11-15; 21:1-5.

Cremos na Doutrina dos Dízimos e Ofertas

A Bíblia diz, em Malaquias 3.9, que o povo estava sendo amaldiçoado porque estava roubando a Deus. E eles indagaram, assustados: “Nós, roubando ao Senhor? Como? Em que te roubamos?” Deus respondeu que sim, que eles O estavam roubando nos dízimos e nas ofertas.

O que é dízimo? O conceito é simples: a décima parte ou 10% de tudo o que eu ganho.

O que é oferta? Ofertar é dar. Na Bíblia, o seu conceito está ligado à ideia de sacrifício. É dar algo que nos custe alguma coisa, que seja valioso para nós.

Dízimo é um tipo de primícias. Primícias são os primeiros frutos. Então, se você esperar o final do mês, depois de ter feito tudo, e quiser separar 10%, nunca vai sobrar. Porque essa atitude não é bíblica. Não são os últimos 10%, e sim, os primeiros. No momento em que você recebe o seu salário, o bíblico e correto é separar imediatamente os 10% de Deus. Os primeiros 10% são Dele. A oferta não tem uma quantia exata definida. Mas queremos encorajá-lo a aumentar paulatinamente (pouco a pouco) os valores doados. Lembre-se de ser generoso para com Deus, pois você quer que Deus seja generoso com você. Deus não estipula a quantia de ofertas que cada um deve dar. Os dízimos, sim. A Bíblia é bem clara sobre os 10%.Quando o cristão não entregar o dízimo, quem vai sofrer é ele; não a igreja. Deus sempre vai cuidar bem da Sua igreja. Pelo simples fato desse cristão estar desobedecendo à Palavra de Deus, bênçãos deixam de acontecer e problemas podem surgir. A falta de dizimar não afeta a sua salvação em Cristo, mas pode afetar sua vida financeira, o recebimento de bênçãos materiais.


980x100 titulos

Igreja de Cristo em Células

Edificar uma igreja forte e capaz, que tenha condições físicas, espirituais e financeiras para propagar o evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo ao mundo.

  1. O PROPÓSITO DA IGREJA DE CRISTO EM CÉLULAS

O propósito da Igreja de Cristo em Células tem quatro pontos principais, bem fáceis de lembra

Agradar e Glorificar a Deus

Se você for pensar bem, não existe um alvo mais sublime na vida de alguém do que agradar a Deus. Mas, pessoas podem dizer: “Não, o alvo mais sublime é ser igual a Jesus”. Apesar desse alvo ser tão nobre, isso pode demonstrar um teor de egoísmo (no caso, de me tornar igual a Jesus).

Então, acima de tudo, o que tem que queimar no meu coração é agradar e glorificar a Deus acima de qualquer circunstância. É o alvo mais sublime e espiritual que alguém pode ter na caminhada cristã. É a motivação mais pura que alguém poderá almejar.

Ter Profunda Intimidade Com Deus

A Bíblia deixa bem claro que o segredo principal para agradar e glorificar a Deus é ter profunda intimidade com Ele. Por isso nós damos muito valor à adoração. É preciso que você possa crescer no seu TSD (Tempo Sozinho com Deus), que aprenda a ouvir a voz do Espírito Santo falando ao seu espírito, e a ler a Bíblia, buscando a verdadeira intimidade com o Pai.

Fazer Discípulos, Fazedores de Discípulos no Contexto da Célula

Jesus disse: “Ide por todo o mundo e fazei discípulos”. E não parou por aí! Ele acrescentou: “Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho ordenado”. Agora, o que Ele tinha acabado de ordenar? Fazer discípulos!

O tipo de discípulos que nós fazemos não são aqueles que ficam só recebendo, engordando espiritualmente e esquentando as cadeiras da igreja.

O correto é fazermos discípulos inflamados de paixão por ganhar almas e cuidar bem delas. Eles dizem: “Agora que Jesus me transformou, eu quero discipular outros também”. E começam a ser usados, tornando-se discipuladores de outras pessoas.

Este terceiro aspecto do nosso propósito é muito específico e preciso, pois ele faz parte da Grande Comissão que Jesus deu para todos os cristãos: “Ide por todo o mundo e fazei discípulos”.

Podemos ver o exemplo dos irmãos da Igreja Primitiva, cuja vida, na maior parte do tempo, não era passada nos prédios, mas sim nas casas uns dos outros.

Você, que conhece a Igreja de Cristo, sabe que nossos cultos são animados, temos a visitação de Deus, e as pessoas são abençoadas pelo Senhor. Temos cursos bíblicos (seminários). Entretanto, o nosso “carro chefe” são nossas reuniões nas casas.

Somos uma igreja em células. Entendemos que isto é um princípio bíblico. Na verdade, estamos voltando ao princípio bíblico da Igreja Primitiva, centrada na igreja nos lares. É muito bonito quando podemos ver isto numa igreja do século XXI.

Se você ainda não é um líder de célula, acreditamos que você poderá sê-lo, com certeza. Obviamente que você vai precisar de um preparo para se tornar esse líder, um discípulo fazedor de discípulos.

  1. Implantar o Reino de Deus, Principalmente Através da Fundação de Igrejasbanneigreja6

Essa implantação deve acontecer em Goiânia, em todo o Estado de Goiás, no Brasil e no mundo.

Quando eu falo “principalmente através da implantação de igrejas”, é porque acredito que o Reino de Deus também pode ser implantado de outras maneiras. Uma das formas de fazer isto é um trabalho social sério. Outra maneira são programas de rádio, televisão e a mídia de um modo geral. Acreditamos que esses meios são de suma importância para se propagar o Evangelho de Cristo com seriedade. Acreditamos que existem diversas maneiras de anunciar o Reino de Deus, sendo que o meio principal é através da fundação de novas igrejas.

Este era o método principal que o Apóstolo Paulo usava para espalhar o Reino de Deus.

Neste caso, as pessoas podem ser bem cuidadas no contexto da Igreja Local. Estou falando de igreja séria, que ama as pessoas, que cuida bem delas.

Existe um clamor no Brasil. Clamor não só por novas igrejas, mas por igrejas sérias, que não brinquem de servir a Deus, nem finjam cuidar das pessoas. O Brasil precisa de igrejas que realmente levem a sério a Grande Comissão.

Eu falo com muito carinho, mas existem igrejas que se perderam no meio do caminho. Estão vivendo em função de si mesmas. Estimulam seus membros a realizar grandes projetos e atividades, mas não conseguem ganhar multidões para Cristo e cuidar bem belas.

O que deve queimar em nossos corações é discipular bem cada pessoa. Quando isso acontece, todos se tornam uma bênção.

Deus conhece o nosso coração. Ele sabe que nosso grande desejo não é simplesmente ver a Igreja da Paz enorme numericamente. Isto vai acontecer, em nome de Jesus, mas queremos ter a certeza de que muitas vidas serão salvas para Cristo e que cada uma seja pessoalmente bem cuidada.

Nossa pretensão não é engrandecer o nome da Igreja de Cristo. Há pastores que se preocupam em divulgar a placa da igreja. Anelamos engrandecer o nome de Jesus e salvar muitas vidas. E eu quero lhe incentivar a ter essa mesma visão, tornando-se um membro ativo na família da fé.

  1. VISÃO DO MDA

Calculamos que existem hoje mais de 7.000 igrejas evangélicas no Brasil que estão na visão do MDA (Modelo de Discipulado Apostólico), seja parcial, seja integralmente. Além dessas, há muitas igrejas em outros países também trabalhando com esse modelo.

Esta visão nasceu pelo poder do Espírito Santo, lá em Santarém, no meio da Amazônia. Foi uma visão dada por Deus, pela Sua infinita misericórdia. Através dela podemos cuidar bem das pessoas, num contínuo vínculo de discipulado um a um.

O MDA nasceu no dia 29 de Maio de 1999. Hoje, dez anos depois, em todas as partes do Brasil há igrejas operando nesse modelo. Milhares de pastores de diversas denominações estão sendo muito abençoados por Deus através do MDA. Isto muito nos alegra!

conehca

Compartilhe

Participe, comenta ai vai...